Skip to content

Carris perdeu 25 milhões de passageiros só no primeiro semestre

A Carris registou uma redução de 21% nos passageiros transportados no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. Se até Junho de 2011 a Carris tinha transportado 118,3 milhões de passageiros, agora ficou-se pelos 93,3 milhões. As receitas da empresa, ainda assim, subiram 5,6%, para 46 milhões de euros, mostram os números que a Carris fez chegar ao i. A transportadora lisboeta viu ainda a dívida subir 1,8%, para 729 milhões.

“A acentuada quebra de passageiros, generalizada a todos os transportes públicos, reflecte a acentuada redução da mobilidade, também repercutida numa diminuição do transporte particular, como todos os indicadores evidenciam, sendo sobretudo uma consequência da recessão e do aumento do desemprego que se verificam em Portugal”, comentou a Carris a propósito destes números. Contudo, os sucessivos aumentos dos tarifários levados a cabo pelo governo PSD/CDS são também, em grande parte, responsáveis pela quebra na procura da Carris – e nos demais transportes públicos. Como exemplo, veja-se que em Janeiro deste ano as empresas de transportes estavam com números em linha com Janeiro de 2011, e que em Fevereiro, data do último aumento tarifário decretado pelo Ministério da Economia, entraram em queda a pique.

Os números agora revelados pela Carris mostram ainda uma deterioração face ao registo do primeiro trimestre deste ano. Nos primeiros três meses de 2012, a transportadora tinha sentido uma redução de 10% nos passageiros que agora, considerando todo o semestre, mais que duplicou, para 21%. Pondo as coisas noutros termos: se entre Janeiro e Março deste ano a Carris tinha perdido, em média, 65,3 mil passageiros por dia, já considerando o período entre Janeiro e Junho a Carris perdeu perto de 139 mil passageiros diários.

Contas melhoram O reverso da medalha da quebra dos passageiros encontra-se no quadro relativo aos resultados financeiros da Carris. A dimensão dos aumentos dos tarifários foi de tal forma que, mesmo com uma quebra de 25 milhões de passageiros, a transportadora consegue um aumento de 5,6% nas receitas, fruto de um crescimento de 4,1% nas receitas com passes – apesar de ter vendido menos 22,7% destes títulos – e de 20,6% nos bilhetes pré-comprados. Este aumento, conjugado com a redução de 8,8% nos custos operacionais da transportadora, para 65,3 milhões de euros, ajudou a baixar os prejuízos da empresa para 28 milhões, contra os 43,8 milhões de perdas no primeiro semestre de 2011. Também o resultado operacional melhorou, passando de 27,6 milhões para 8,5 milhões negativos.

in: Jornal i, 26 Julho 2012

Anúncios

Comentar

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: