Saltar para o conteúdo

Vitória clara do “Não” festejada na Grécia e lamentada pelos líderes da UE

Os gregos ganharam este domingo um novo “Dia do Não”. Depois da recusa ao ultimato de Mussolini em 1940 agora foi a recusa ao ultimato dos credores europeus. Estes é que não gostaram

Todos os anos os gregos comemoram a 28 de Outubro o “Dia do Não”, que assinala o dia em que, no ano de 1940, o então primeiro-ministro Ioannis Metaxas recusou o ultimato de Benito Mussolini para que Atenas deixasse entrar as tropas do Eixo em território grego e ocupar pontos estratégicos. Para o ano, também o 5 de Julho poderá ser integrado nos festejos do “Dia do Não”.

Este domingo, e ao contrário do que se esperava (todas as sondagens previam uma luta taco-a-taco entre NAI e OXI até ao fim), o “Não” ganhou o referendo na Grécia, e de forma clara. Um “não” que, sublinhou o ministro das Finanças, Yanis Varoufakis, é “um grande ‘sim’ a uma Europa democrática”. Já Tsipras salientou que os gregos fizeram “uma escolha corajosa”, conforme disse o primeiro-ministro no discurso à nação. “Provámos que a democracia não pode ser chantageada.”

Apesar das posições dos governantes gregos, do outro lado da barricada o resultado do referendo não caiu nada bem. Primeiro, Dijssebloem referiu-se à escolha democrática do povo grego como algo “muito lamentável”, depois a Comissão Europeia comentou o referendo com um lacónico “registamos e respeitamos” onde, pela primeira vez, puxa também pela carta da legitimidade democrática.

Os resultados. Terminada a contagem, o “Não” acabou por recolher 61,31% dos votos, contra os 39,69% do “Sim”, num referendo que teve uma taxa de participação de 62,5% e 5,8% de votos brancos ou nulos, segundo o site oficial do referendo do ministério do Interior grego.

Além da expressão dos números, é também de salientar a unanimidade dos resultados em todas as regiões ou distritos eleitorais gregos. É que além do “OXI” ter vencido nas 13 maiores regiões do país, o “OXI” ganhou em todos os 56 distritos eleitorais e com bastante destaque: apenas em sete dos 56 distritos é que o “Sim” ficou a menos de dez pontos de distância.

Votaram 6,16 milhões de gregos, de um total de 9,85 milhões de eleitores registados. Destes, 3,55 milhões escolheram o “OXI” e 2,24 milhões o “NAI”. Logo que foram divulgados os primeiros resultados, que pouco depois do fecho das urnas já apontavam para uma vitória clara, a rondar os 60%, os apoiantes do “Não” acorreram à Praça Syntagma para festejar.

in: ionline, 6 Julho 2015

Comentar

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: