Skip to content

19 Fevereiro 1961. O primeiro supermercado do país

19-fev-1961(2)

“Paris. Milão, Estocolmo, Madrid, Barcelona, Bruxelas, possuem ‘self-services’ e não consideram esta designação contra a sua língua”

“Uma nova ofensiva: a dos ‘self-services’. O primeiro foi inaugurado hoje, em Lisboa, em plena cidade nova, na Avenida de Roma. Dois outros se seguirão, mais vastos, no estilo dos supermercados norte-americanos, um dos quais junto do cinema Monumental. ‘Self-service’ é uma designação já internacionalizada, de que outras capitais não têm receio. Paris. Milão, Estocolmo, Madrid, Barcelona, Bruxelas, possuem ‘self-services’ e não consideram esta designação contra a sua língua. Lisboa resiste, mas de uma forma descontínua, que os ‘snack-bars’ proliferam. Exige-se a expressão auto-serviço, o que sugere uma garagem, a bomba de gasolina. Porque ‘self-service’ não é propriamente um atentado à língua portuguesa e se a palavra de ordem é resistir a estas expressões fulgurantes mas estrangeiras, torna-se urgente um critério uniforme, sem brechas.”

“Salto arrojado, que a cidade tem séculos de lentidão no seu passado, e resiste absurdamente a inovações deste tipo”

“O primeiro ‘self-service’ lisboeta abriu hoje na Avenida de Roma, a coluna vertebral da cidade nova. O Areeiro não é Manhattan mas significa uma renovação. O ‘self-service’ pertence à época que vivemos: é um dos seus resultados. Útil, lógico, já indispensável, o ‘self-service’  exige um ritmo a que Lisboa não está ainda habituada. No 46-A da Avenida de Roma, para lá de uma montra vasta, chamejante de rótulos, montada com agudo sentido comercial e entendimento do novo estido de vida, a ‘Francfort’ passou de charcutaria a ‘self-service’. Salto arrojado, que a cidade tem séculos de lentidão no seu passado, e resiste absurdamente a inovações deste tipo (…)”.

“A sensação predominante é de fartura, depois, de higiene. Os preços estão à vista, as pesagens já feitas. Basta estender a mão, colocar o produto e avançar”

“Diário de Lisboa”, 19 Fevereiro 1961

Fonte: Diário de Lisboa, arquivo Fundação Mário Soares

Anúncios

Comentar

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: