Skip to content

2013/14. Benfica abaixo da média chegou para rival que bateu no fundo

O Benfica de 2013/14 foi o campeão com menos golos marcados nos oito anos de liga a 16 equipas. Além disso, a “sólida” defesa encarnada até sofreu mais golos que a média dos campeões desde 2006/07 e já há cinco anos que um vencedor da liga não registava tão poucos pontos. Porém, e como o FC Porto bateu no fundo, esta época o Benfica pareceu brilhar em tudo… menos nos números que ficam para os registos

evolucao-bola

A relativa tranquilidade com que o Benfica trouxe para a Luz o título de campeão este ano disfarçou uma prestação abaixo dos padrões normais de um campeão em Portugal. Mas como o rival mais directo dos encarnados bateu recordes negativos, os bugs da versão 5.0 do Benfica de Jesus perderam importância ao longo do ano – o crash da versão 0.5 do FCP de Paulo Fonseca monopolizou todas as atenções.

Sem discutir losangos-rectângulos e transições verticais-na-horizontal, eis o o que dizem os números: Este Benfica foi o terceiro melhor das cinco versões de Jesus. Mas o futebol é engraçado por isto: um Benfica aquém do seu melhor foi campeão quando o melhor Benfica de Jesus não o foi. Porquê? Porque se em 2012/13 o melhor Benfica dos últimos oito anos (77 pontos) foi superado pelo segundo melhor FCP (78), este ano o terceiro melhor Benfica (74) chegou para o pior FCP (61) e para o segundo melhor SCP (67) – considerando as épocas desde a última redução de equipas.

Campeão abaixo da média Desde que o FC Porto festejou o título em 2008/09 com 70 pontos que um campeão não tinha tão poucos pontos como o Benfica deste ano – o registo mais baixo para um campeão desde há cinco épocas. Os 74 pontos com que os encarnados fecharam a liga surgem depois de quatro épocas em que o título foi entregue a equipas com 76, 84, 75 e 78 pontos.

O futebol português chegou à oitava época consecutiva com 16 clubes na divisão maior. Em sete destas oito, o campeão marcou 60 ou mais golos. Até à última, o registo mais baixo eram 60 golos, do FCP 2008/09. Ora o Benfica deste ano, com 58, foi o primeiro a conseguir o título com menos de 60 golos – a média das equipas campeãs nas oito temporadas foi de 67 golos. O Benfica foi assim o único campeão com uma média inferior a dois golos marcados por jogo. Os elogios ao Benfica, verdade seja dita, têm no entanto apontado para a solidez defensiva como um dos esteios do “triplete”. Mas também neste campo a distância face aos rivais pode induzir em erro, já que a “solidez” não superou a média das equipas campeãs: De 2006/07 a 2013/14, o campeão sofreu em média 17,5 golos no campeonato, valor que compara com os 18 golos sofridos pelo SLB. Com o pior registo atacante entre os campeões desde 2006/07 e uma defesa na média, em termos de diferença de golos o campeão deste ano acaba por registar o pior valor dos últimos oito anos: os 40 golos “líquidos” do SLB só encontram paralelo nos 43 do FCP de 2008/09. De resto, as equipas campeãs conseguiram uma média de 49 golos “líquidos” nos últimos oito anos.

FCP: Da Prata, ao fundo Olhando para a evolução dos três grandes nas últimas oito épocas, nota-se que as duas vitórias no campeonato de Jesus coincidem com os dois piores anos do FCP, que em 2009/10 registou 68 pontos e agora 61.

Tendo sido campeão em seis das últimas oito temporadas, o FC Porto viveu a melhor temporada em 2010/11, reagindo da melhor forma à primeira vitória de Jesus no campeonato e fechando a liga com 84 pontos, o melhor registo de todos os campeões no período. O segundo melhor registo ocorreu na última temporada, ganho ao sprint a um Benfica que já abria champanhe. Os 78 pontos de 2012/13 foram a segunda pontuação mais elevada do FCP com 16 clubes, seguindo-se depois a hecatombe deste ano. Isto adensa o mistério sobre que FC Porto teremos na próxima época: o dragão, que conseguiu renascer das cinzas depois de perder o título em 2009/10, terá agora força para renascer depois da sua pior época? O Sporting fez exactamente isso este ano.

SCP: Do fundo, à Prata O percurso do clube de Alvalade foi inverso ao registado a norte: o Sporting renasceu depois de bater no fundo na temporada de 2012/13. Ao seu pior ano, o SCP respondeu com o segundo melhor registo nas oito últimas épocas: os 67 pontos do SCP 1.0 de Jardim só por uma vez foram superados e logo na primeira edição da liga com 16 clubes neste milénio. Na altura, o Sporting assegurou o 2.o lugar com 68 pontos, a apenas um do campeão, Futebol Clube do Porto. O curto mandato de Leonardo Jardim no Sporting, porém, não acabou sem o treinador madeirense deixar um marco (além do Silva) da sua passagem: foi o único treinador do Sporting que conseguiu fechar uma época com um registo de golos melhor que o do FC Porto. Os 34 golos “líquidos” do Sporting foram suficientes para ficar à frente da diferença de golos do FCP 2013/14, que foi de apenas 32. Agora cabe a Marco Silva recriar a nova arquitectura leonina.

in: Jornal i, 31 Maio 2014

Anúncios

Comentar

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: