Saltar para o conteúdo

Desde cedo, a poupar… e a aproveitar

“Poupar” é um termo cuja definição é tão simples quanto o seu objectivo é palpável: juntar dinheiro; fazer economias ou poupanças. Poupar pode ser um hábito que adquirimos desde tenra idade, uma forma de no futuro conseguirmos concretizar todos os nossos sonhos.

in: Público, 20 janeiro 2021

O “Poupar” tanto passa pela redução dos gastos, libertando dinheiro, como pela separação de ganhos, reservando dinheiro:

– Ao reduzir gastos, fica com mais rendimento disponível e, logo, mais capacidade de poupar;
– Ao separar ganhos reserva logo parte do ordenado para o fim de poupar.

Poupança deve ser encarada como um hábito, uma rotina, igual a tantas outras. Tal como todos os meses paga contas, todos os meses deve poupar.

D.R.

Faça este exercício simples: Sabe responder no imediato a quanto é que gasta com a renda, a luz, água e gás de sua casa? E isso representa quanto do seu rendimento? São números que deve ter na ponta da língua.

Aprender e aplicar

É através do reforço dos nossos conhecimentos financeiros, de ‘economia doméstica’, que nos tornamos mais conscientes e autónomos financeiramente:

– Não precisamos de nenhuma licenciatura para sermos ‘letrados’ em orçamentos familiares: há já vários sites, workshops, seminários dedicados ao tema;

– Por vezes, para poupar basta passar à prática alguns ensinamentos fáceis e ter noção de alguns conceitos como dívida, poupança, orçamento ou investimento;

– Ao aumentarmos a nossa ‘autonomia’ financeira, ficamos mais resistentes a pressões externas, mas também mais conscientes do valor do dinheiro.

D.R.

A prosperidade e o equilíbrio de uma sociedade também dependem do grau de literacia financeira dos seus cidadãos. É importante educar desde pequeno para a poupança, incentivando, assim, a criar hábitos desde cedo, fomentando a literacia financeira dos nossos filhos.

Como incentivar o hábito da poupança nos mais novos?

  • Atribua-lhes uma semanada ou mesada. Só com dinheiro em mão poderão aprender a poupar;
  • Defina objectivos ou prémios: se o seu filho quiser um brinquedo ou jogo caro, desafie-o a chegar a metade do valor num determinado período;
  • Dê o exemplo: não seja consumista, não desperdice, mostre-lhe que também poupa e diga-lhe que não a luxos;
  • Adapte o discurso e não complique explicações nem faça do dinheiro uma obsessão;
  • Não force a poupança, dê autonomia: mais vale poupar pouco por vontade do que poupar tudo à força.

Poupar a curto e longo prazo

Nunca é tarde demais nem cedo demais para começar a poupar. Começando mais cedo, as perspectivas serão maiores, tal como os objectivos poderão ser diferentes. Começar mais cedo torna a tarefa mais fácil, porque com mais tempo, é possível definir metas a curto e também a longo prazo, diversificando assim objectivos:

– Objectivos de longo-prazo: PPR por exemplo;

– Objectivos a 5/10 anos: angariar 15/20 mil euros para compra de casa [bancos emprestam até 90%];

– Objectivos de curto-prazo: pagar férias sem recorrer a crédito.

Há também uma poupança que não é de curto nem de longo prazo e deve ser constante: a poupança para despesas de emergência, que visa responder a despesas inesperadas. Criar e ser responsável pela sua própria rede de segurança é determinante para reduzir stress, ansiedade e melhorar o ambiente de vida da família.

Dicas para poupar

  • Rever consumos e tarifários dos serviços essenciais que tem em casa. Pode não ter o produto mais ajustado para si [TV, luz, gás…]; Ex.: Precisamos realmente de ter 1500 canais e 1000 gigas de internet?
  • Comece a levar comida de casa para o trabalho. Não precisa de ser todos os dias, mas quanto mais vezes fizer mais notará a diferença no final do mês;
  • Registe as suas despesas. Ficará surpreendido com o «custo» total de uma série de pequenos gastos, por vezes supérfluos, que realizamos quase diariamente;
  • Mantenha-se atento aos débitos directos para evitar surpresas;
  • Vá sempre às compras com uma lista preparada com o que precisa e verifique os vários preços de cada marca para produtos similares;
  • Ao nível da mobilidade: se possível, desloque-se a pé, de bicicleta ou transporte público. Quando andar de carro, opte por uma condução mais económica e preventiva.

Poupar para investir

A abordagem à poupança pode ter três etapas:

 Ter um orçamento que permita planear e gerir o dinheiro: pode obrigar a correcção de gastos, para criar folgas;

 Iniciar poupança;

 Avançar para investimentos.

No investimento poderá encontrar diferentes soluções de poupança, com diferentes tipos de maturidade e distintos objectivos. Consoante os seus objectivos de investimento e capacidade financeira, poderão existir várias soluções de poupança como por exemplo, Fundos de Investimento, Seguros de Capitalização, PPR’s, etc.

D.R.

Classes (e categorias) de produtos

A Banca oferece cada vez mais soluções ao nível da poupança e do investimento e se há cada vez mais ofertas, então é cada vez mais provável que uma delas se adeque ao seu perfil:

  • O BPI tem uma oferta completa em Soluções de Poupança e Investimento que visam responder a diversas finalidades e uma equipa especializada que o vai ajudar a encontrar a solução mais adequada para si.
  • ​Com este leque diversificado, o BPI procura ir de encontro às necessidades de todos os seus clientes.

Comentar

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: