Skip to content

Benfica e Porto: Compare os contratos milionários

Contrato do SLB dura dez anos e inclui jogos e Benfica TV. Contrato do FCP dura 12,5 anos, inclui jogos, o Porto Canal e publicidade no Dragão e nas camisolas

Fechados com menos de um mês de diferença, os contratos de venda dos direitos de transmissão televisiva celebrados por Benfica e Porto foram avaliados em 400 milhões e 457,7 milhões de euros respetivamente.

Apesar dos montantes envolvidos estarem em patamares semelhantes, o que está incluído nos contratos e as diferentes durações previstas para cada direito cedido pelos clubes tornam difícil comparar diretamente os negócios milionários dos dois maiores clubes de futebol portugueses.

O que venderam os clubes?

No caso do Benfica, o acordo com a NOS inclui a “cessão dos direitos de transmissão televisiva dos jogos em casa da Equipa A de Futebol Sénior da Benfica SAD”, bem como “os direitos de transmissão e distribuição do Canal Benfica TV”.

A NOS assegura desta forma e já a partir da próxima época os jogos do Benfica no Estádio da Luz para a liga profissional de futebol, ganhando ainda o direito de acrescentar a Benfica TV na sua grelha de canais.

Já no que toca ao Futebol Clube do Porto, o contrato com a MEO é mais alargado. O acordo fechado com a antiga Portugal Telecom inclui, tal como no caso do Benfica com a NOS, os “direitos de transmissão televisiva dos jogos da equipa principal” e os “direitos de transmissão do Porto Canal”.

Contudo, este contrato é mais abrangente que o celebrado pelos encarnados, já que entra no segmento do patrocínio principal do Porto. Segundo a nota do clube sobre o acordo, e além dos direitos de TV e do Porto Canal, a MEO comprou igualmente “o Direito de Exploração Comercial de Espaços Publicitários do Estádio do Dragão” e também “o direito de colocar publicidade na parte frontal das camisola das Equipa Principal de Futebol do FC Porto”.

Estes direitos não foram adquiridos pela NOS no acordo com o Benfica. O clube da Luz vendeu recentemente a publicidade nas camisolas à companhia Emirates, apontando-se para valores entre os 8 e 10 milhões de euros anuais. Antes, as camisolas do SLB eram patrocinadas pela MEO, a troco de 4,5 milhões por ano.

Duração

Os contratos são distintos também no que toca às diferentes durações dos acordos celebrados. No caso do Benfica, o acordo inicial foi fechado por três anos “podendo ser renovado por decisão de qualquer das partes até perfazer um total de 10 épocas desportivas”. O direito da NOS em transmitir os jogos na Luz arranca já no início da próxima época.

Já o contrato fechado pelo Porto é mais complexo: a cedência dos direitos de transmissão é feita logo por dez épocas desportivas e só terá início “a 1 de julho de 2018”. O Porto cede assim os direitos de transmissão dos seus jogos no Dragão até ao final da época de 2027/28.

O contrato entre o Benfica e a NOS também pode chegar a dez anos de duração caso seja “renovado por decisão de qualquer das partes”, chegando nesse caso até ao final da época de 2025/26.

Há depois distintas durações para as diferentes cedências do Porto à MEO: o direito de transmitir o Porto Canal é cedido por 12,5 anos – de janeiro de 2016 ao final da época de 2027/28 -, a venda do espaço para publicidade nas camisolas dura 7,5 anos – janeiro de 2016 ao final da época de 2023/24.

Já o “direito de exploração comercial” das publicidades no Estádio do Dragão dura igualmente 10 épocas, a partir de julho de 2018.

Valores

Não representando exatamente a cedência dos mesmos direitos às operadoras de televisão por subscrição é difícil olhar de forma comparativa para ambos os contratos, sendo certo que o do FCP é não só mais abrangente como em algumas cláusulas de maior duração que o do Benfica.

Segundo o clube da Luz, caso o contrato com a NOS chegue aos 10 anos de duração, então, e nesse período de tempo, entrarão 400 milhões de euros nos cofres encarnados, “repartidos em montantes anuais progressivos”.

Já no que toca ao Porto, e sem desagregar valores para as diferentes cedências feitas à MEO, salienta-se que este inclui os direitos de exploração de publicidade no Estádio do Dragão (por 10 anos) e também o patrocínio das camisolas (por 7,5 anos), negócios não incluídos na negociação entre Benfica e NOS.

Este contrato gerará um total de 457,7 milhões de euros para o Futebol Clube do Porto durante 12,5 anos, um valor cuja maior fatia só começará a chegar aos cofres do Dragão a partir de julho de 2018, altura em que os direitos televisivos do FCP saltam para a MEO.

in: “Dinheiro Vivo”, 28 dezembro de 2015

Anúncios

Comentar

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: