Saltar para o conteúdo

TAP reforça quota de mercado no segundo trimestre para 38%

A TAP fechou o segundo trimestre do ano com 37,9% de quota de mercado nos principais aeroportos nacionais, uma ligeira melhoria face aos 37% registados no mesmo período de 2011, segundo cálculos do i tendo por base os relatórios estatísticos divulgados pelo regulador do sector, o Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC). Apesar da subida anual, a quota neste trimestre fica abaixo dos valores conseguidos pela transportadora nos primeiros três meses do ano, quando registou 45,6% de quota – também um aumento em comparação com o primeiro trimestre de 2011 –, o melhor registo da transportadora portuguesa desde o início de 2009, quando o INAC passou a disponibilizar dados estatísticos.

O primeiro trimestre de cada ano é o período mais forte da companhia portuguesa em termos de quota de mercado, já que é uma altura menos propensa a viagens de lazer, mercado onde as low costs têm uma penetração mais elevada que no restante tipo de tráfego. Já no segundo e o terceiro trimestre dos anos, entre Abril e Setembro, a TAP sofre sempre alguma deterioração na quota de mercado, ficando esta desde meados de 2009 repetidamente abaixo dos 40%. Este ano, e apesar de a TAP estar a recuperar quota, não têm sido excepção estas duas realidades.

Segundo o boletim do INAC, no período entre Abril e Junho deste ano, a companhia portuguesa reforçou a quota em dois dos quatro maiores aeroportos nacionais, aumentando de 57% para 58% a fatia de passageiros transportados na Portela, e de 33% para 36% a quota no Funchal. Já em Faro a TAP manteve a sua importância relativa, repetindo os 3% conquistados no segundo trimestre de 2011. No Porto voltou a perder mercado, com menos um ponto percentual de quota, agora nos 27%. Cruzando estas quotas com o total de tráfego registado em cada aeroporto e no total dos aeroportos, calcula-se então em 37,9% a quota global da companhia no segundo trimestre de 2012.

O ganho de quota da TAP ao longo deste ano tem sido conseguido à custa de alguma deterioração nos números das low costs mais presentes em Portugal – easyJet, Ryanair, Monarch, Transavia, Thomsonfly e Air Berlin –, o que marca uma inversão do cenário a que se foi assistindo nos últimos dois anos. Pelos cálculos do i, no segundo trimestre do ano, este grupo de companhias de baixo custo assegurou 28,4% dos passageiros de/para Portugal, quando no mesmo período de 2011 tinha registado 29,7%.

TAP reforça vendas online A companhia portuguesa revelou ontem que o peso das vendas através da internet não pára de crescer, tendo estas sido responsáveis “por 13,3% do total que inclui as vendas directas e de outros canais, designadamente as agências de viagens. No primeiro semestre de 2011 as vendas online representavam 10,4 %”.

Segundo a TAP, “Portugal, Brasil e Reino Unido foram os mercados que mais contribuíram para este aumento. Portugal tem actualmente um peso de 34,2 % das vendas online, tendo crescido 18%” no semestre.”

in: Jornal i, 10 Agosto 2012

Anúncios

Comentar

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: