Saltar para o conteúdo

Estação de Arroios do Metro de Lisboa só vai abrir em junho de 2021

Metropolitano de Lisboa aprovou adjudicação do concurso para execução da empreitada de ampliação da estação de Arroios à DST e Efacec. Obra vai custar 6,7 milhões e deve terminar até junho de 2021.

in: ECO, 5 Setembro 2019

O Metro de Lisboa aprovou esta quinta-feira a adjudicação da nova empreitada para a ampliação e remodelação da estação de Arroios, obra que agora fica a cargo de um consórcio constituído pela DST e Efacec. A transportadora vai agora remeter o procedimento para o Tribunal de Contas para o obrigatório visto prévio, calculando que a consignação da empreitada ocorra até ao final do ano. Assim que as obras começarem, a previsão é que durem 18 meses — ou seja, e caso a consignação ocorra até final de 2019, a estação poderá reabrir até junho de 2021.

relançamento desta empreitada já tinha sido noticiado pelo ECO no início de abril, altura em que o Metro de Lisboa estimava que a mesma fosse adjudicada até julho, o que só aconteceu agora, e com um valor ligeiramente inferior ao inicialmente previsto. Em abril o Metro calculava que o concurso iria envolver 6,84 milhões acrescidos de IVA, a adjudicação foi fechada “pelo preço contratual” de 6,67 milhões, acrescidos de IVA.

Sobre a obra propriamente dita, detalha o Metro de Lisboa, o objetivo passa pela ampliação “do cais da estação de 70 para 105 metros de forma a receber composições de seis carruagens”, mas também a “reformulação dos átrios” ou a “introdução de elevadores”, tudo melhorias que visam reformar “a qualidade e a velocidade de serviço” prestada aos “mais de 600 mil clientes que diariamente utilizam o Metro de Lisboa”.

A empreitada foi ganha pelo consórcio composto pela Domingos da Silva Teixeira (DST), Efacec e DTE/Cari e o contrato deverá ser assinado entre 9 e 13 de setembro próximos. Assim que estiver fechada a assinatura, “o procedimento será remetido para visto prévio do Tribunal de Contas, prevendo-se que a consignação da empreitada ocorra até final do corrente ano e que as obras tenham uma duração de 18 meses, após a data da consignação”. Em abril, o Ministério do Ambiente calculava que a estação de Arroios pudesse reabrir ao público ainda no final de 2020, início de 2021 — o que já não se irá verificar.

O barato sai caro

As obras de remodelação e ampliação do cais da estação de Arroios foram lançadas há mais de dois anos, em julho de 2017, tendo então sido anunciado que as mesmas terminariam em março de 2019. Contudo, e depois da Opway ter vencido o concurso por ter proposto “um prazo 180 dias inferior ao previsto”, bem como “um preço inferior ao preço base do concurso”, correu tudo ao contrário. De tal forma que o Metro de Lisboa tem em curso uma análise aos “eventuais ressarcimentos” devidos pela construtora à transportadora.

Conforme explicou a empresa ao ECO em abril, após uma análise global aos trabalhos desta empreitada, o Metro de Lisboa, “não obstante o esforço continuado” junto da Opway “no sentido da tentativa de resolução dos problemas que se vieram a verificar na obra”, concluiu pela “existência de um conjunto significativo de incumprimentos incompatíveis com as obrigações contratuais da Opway e com o interesse público”, incumprimentos que tornaram impossível cumprir os prazos.

Perante este cenário, a administração da empresa notificou o adjudicatário da resolução do contrato no início de 2019, revelando então ao ECO que iria apurar “responsabilidades e eventuais ressarcimentos ao Metro de Lisboa por parte do empreiteiro”.

Anúncios

Comentar

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: